Connect with us

Agricultura

O Hospital de Amor de Porto Velho, foi a instituição beneficiada pela Campanha Outubro Rosa em parceria com a MicroXisto, Lavoro/Central Agrícola e Agro Mulheres Rondônia

Publicado há

-

Siga-nos

FACULDADE EAD UNOPAR ALTO PARAISO RO

FACULDADE EAD UNOPAR ALTO PARAISO RO

ZAP : 69-9-8431-2963

RUA PATRICIA MARINHO, 3547, CENTRO ALTO PARAISO RO.

PARAISO DA LIMPEZA

ELÉTRICA RURAL

DOAÇÃO Para HOSPITAL DE AMOR

Elétrica Rural

Zap (69) 98124-8358

ACIAP

Associação Comercial e Industrial de Alto Paraíso informa os novos horários de atendimento ao público:

Segunda a Sexta

de 8h às 12:30 horas e de 13:30 às 17h

Alo Paraiso Net – Avenida Jorge Teixeira, 3171- Zap 993267146- ao Lado do ponto de Taxi.

FACULDADE EAD UNOPAR EM ALTO PARAISO AGUARDEM

PM de Rondônia

Ariprev

Zap (69) 98124-8358

Aprosoja

Uma entidade representativa de classe, constituída pelos produtores de soja e milho do Estado de Rondônia.

O Hospital de Amor de Porto Velho, foi a instituição beneficiada pela Campanha Outubro Rosa em parceria com a Micro Xisto, Lavoro/Central Agrícola e Agro Mulheres Rondônia.
Agradecemos a todos os colaboradores que participaram com solidariedade na luta contra o câncer de mama e na conscientização sobre a saúde preventiva, todas as mulheres agradecem!!
Contém sempre com o nosso movimento.

Fonte :  Instagram:  agromulheresrondonia

Compartilhe

Agricultura

ALTO PARAISO : Emendas Parlamentares Protocoladas e Solicitadas pelo Vereador Valmir dos Santos

Publicado há

-

Emendas Parlamentares Protocoladas e Solicitadas por mim Vereador

Valmir Dos Santos

, junto aos Parlamentares da Bancada Federal que Representam nosso Estado de Rondônia, para Atender as Necessidades do Município de Alto Paraíso.

Compartilhe
Continue Lendo

Agricultura

Arroba do boi gordo dispara e chega a R$ 280 no interior de Rondônia

Publicado há

-

Por G1 RO

O preço da arroba do boi gordo voltou a subir no interior de Rondônia no final de fevereiro, de acordo com pesquisa da Entidade Autárquica de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Rondônia (Emater-RO).

Segundo a cotação, o município de Machadinho D’Oeste é o que teve melhor valor de mercado na reta final do mês: R$ 280 por cada arroba de boi gordo (para pagamento à vista).

Outras 13 cidades também registram valores acima de R$ 270 pela arroba de boi gordo.

A cotação da Emater refere-se ao preço médio pago ao produtor rural. Veja, abaixo, os valores em algumas cidades.

Boi gordo à vista em Rondônia

Municípios Preço do @
Alta Floresta d’Oeste R$ 275,00
Alto Alegre dos Parecis R$ 270,00
Alvorado do Oeste R$ 272,84
Ariquemes R$ 268,90
Cabixi R$ 272
Cacoal R$ 276
Chupingaia R$ 271,50
Corumbiara R$ 274
Costa Marques R$ 268
Espigão do Oeste R$ 270
Jaru R$ 260
Ji-Paraná R$ 268
Machadinho D’Oeste R$ 280
Nova Brasilândia R$ 234
Ouro Preto do Oeste R$ 275
Pimenta Bueno R$ 270
Pimenteiras do Oeste R$ 268
Porto Velho R$ 275
Rolim de Moura R$ 264,55
Santa Luzia R$ 272
Vale do Anari R$ 220

Compartilhe
Continue Lendo

Agricultura

Unopar Alto Paraiso : O ano de 2021 mal chegou e já estamos em fevereiro! Passou muito rápido, né? Então não espere até o fim do ano para começar a estudar.

Publicado há

-

RUA PATRICIA MARINHO, 3547, CENTRO ALTO PARAISO RO. ZAP : 69-9-8431-2963

Não espere o ano acabar para começar a sua graduação!⠀
O ano de 2021 mal chegou e já estamos em fevereiro! Passou muito rápido, né? Então não espere até o fim do ano para começar a estudar. Aproveite enquanto tem bastante tempo pela frente e invista no futuro que você sempre sonhou! Inscreva-se no nosso vestibular e venha para a UNOPAR: https://bit.ly/3m4DFiJ⠀

#graduacao #vestibular #educação #ead #faculdadeadistância #jaru #ariquemes #altoparaiso #buritis #rondônia

Compartilhe
Continue Lendo

Agricultura

ECONOMIA CAIXA amplia para R $ 12 bilhões o Custeio Agro Antecipado

Publicado há

-

CAIXA amplia para R $ 12 bilhões o Custeio Agro Antecipado

O presidente da CAIXA, Pedro Guimarães, anuncia ao vivo, nesta segunda-feira (22/02), a ampliação do Custeio Agro Antecipado para R $ 12 bilhões. Pedro Guimarães divulga ainda a abertura de 21 novas unidades do banco dedicadas exclusivamente para o setor do agronegócio. O evento conta com a participação da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina.

As operações do Crédito Rural incluem linhas como o Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar), Pronamp (Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural) e Demais Produtores. Disponíveis até junho de 2021, os recursos atendem às diversas finalidades, especialmente para financiamento como despesas do ciclo de produção das principais culturas do país, como soja, milho, algodão, arroz, feijão, mandioca e café, bem como atividades pecuárias.

O presidente da CAIXA, Pedro Guimarães, ressalta a parceria do banco com o homem do campo. “Com a criação de 21 unidades especializadas, a CAIXA está ampliando sua presença em cidades estratégicas para o agronegócio. A expansão em investimentos permitirá que mais trabalhadores rurais tenham acesso aos recursos, fomentando o agronegócio, a geração de empregos e favorecendo a economia brasileira”.

Lançamento do custeio antecipado:
A CAIXA foi o primeiro banco a lançar, já em dezembro de 2020, a antecipação do custeio da safra verão 2021/2022, já tendo sido financiado valor superior a R $ 200 milhões, possibilitando ao produtor de grãos um melhor financeiro planejamento para a aquisição dos insumos. Estão disponíveis recursos suficientes para atender a demanda dos produtores com o processo mais disponível e taxas de juros aderentes ao mercado.

Investimento com recursos livres:
Por meio de recursos próprios, a CAIXA disponibiliza R $ 2 bilhões para o financiamento do investimento. Em um processo ágil, para atender às necessidades dos produtores, o prazo para pagamento é de até 15 anos, já incluído a carência, que é de até três anos.

Podem ser financiados para a ampliação e modernização da infraestrutura produtiva, a construção de armazéns, a aquisição de máquinas e equipamentos novos, animais, formação ou recuperação de pastagens, construção de cercas, currais e galpões, além de programas específicos para a implantação de sistemas de irrigação e armazenagem.

Pronaf:
A CAIXA lançamentos também, no início do ano agrícola 2020/2021, a linha de crédito de custeio Pronaf, destinada ao financiamento da aquisição de insumos e pagamento de serviços, cujo público-alvo são os agricultores familiares enquadrados no Pronaf. A taxa parte de 2,75% aa e varia de acordo com o empreendimento financeiro.

 

Pronamp:
O Pronamp possui linhas de custeio e de investimento que permite ao produção rural financeiro tanto despesas inerentes ao ciclo produtivo, quanto ações de implantação, ampliação ou modernização da infraestrutura relacionada de produção e a realização de serviços à melhoria da atividade agropecuária na propriedade, além de viabilizar a aquisição de bens ou serviços cuja utilização se estenda por vários períodos de produção. A taxa parte de 4% aa e varia de acordo com o empreendimento financeiro.

CAIXA no Agronegócio :
Com oito anos de atuação no crédito rural, a CAIXA possui uma carteira em evolução, por meio da qual já foram financiados mais de 52 mil empreendimentos, superando R $ 44 bilhões liberados no mercado do agronegócio e beneficiando produtores rurais, cooperativas e agroindústrias.

Em 2020, entre janeiro e dezembro, o volume de recursos emprestados em operações de crédito rural aumentou 73%, em comparação ao ano de 2019. Entre julho e dezembro de 2020, houve um crescimento de 33% no volume de recursos emprestados em operações de crédito rural, se comparado com o mesmo período do ano agrícola 2019/2020.

Demonstrando uma indústria do setor para a CAIXA, em janeiro foi concedido volume de recursos superior a R $ 400 milhões, o que representa mais de 350% em relação a janeiro de 2020.

Unidades exclusivas do Agro :
O banco abrirá 21 unidades especializadas no atendimento ao agronegócio. Cada uma delas contará com estrutura e equipe dedicadas ao atendimento exclusivo dos produtores rurais.

Os municípios que recebemão como unidades especializadas no agronegócio foram definidas considerando uma estratégia de atuação do banco para o setor e o potencial para o mercado nas regiões. As novas unidades fomentarão o atendimento aos produtores rurais, que precisa à disposição como as melhores soluções de crédito.

Os produtores rurais contam também com o atendimento de uma rede de gerentes exclusivos do agronegócio, que atuam em todas as regiões, prontos para oferecer as melhores soluções de crédito. O cliente pode obter mais informações no site www.caixa.gov.br ou nas agências da CAIXA.

Carreta Agro CAIXA
Mais uma ação para aproximar o banco do setor, a Carreta Agro CAIXA é um evento itinerante de atendimento especializado ao agronegócio em que são visitadas cidades estratégicas, ou eventos e feiras, para realizar reuniões técnicas, atendimento a clientes e assinatura de contratos .

No quarto trimestre de 2020, a Carreta Agro CAIXA visitou sete cidades:

  • Petrolina (PE)
  • Barreiras (BA)
  • Buritis, Paracatu e Uberlândia (MG)
  • Itumbiara e Rio Verde (GO)

Para 2021, a Carreta Agro CAIXA já tem programação para mais de 20 cidades de 13 estados diferentes:

  • Chapecó e Campos Novos (SC)
  • Cascavel, Toledo e Campo Mourão (PR)
  • Passo Fundo, Ijuí e Rosário do Sul (RS)
  • Assis (SP)
  • Dourados (MS)
  • Catalão (GO)
  • Patos de Minas (MG)
  • Gurupi (TO)
  • Bom Jesus da Lapa e Ribeira do Pombal (BA)
  • Arapiraca (AL)
  • Itabaina (SE)
  • Bom Jesus (PI)
  • Imperatriz e Santa Inês (MA)
  • Parauapebas, Marabá, Tucuruí e Santarém (PA)
  • Fonte Caixa

Compartilhe
Continue Lendo

Agricultura

Abate de suínos e frangos cresce no quarto trimestre de 2020

Publicado há

-

Produção pecuária

Abate de suínos e frangos cresce no quarto trimestre de 2020

Editoria: Estatísticas Econômicas | Caio Belandi

O quarto trimestre de 2020 registrou aumento no abate de suínos e frangos, em comparação com o mesmo período de 2019. Foram 12,10 milhões de cabeças de suínos abatidas, um aumento de 1,6% em relação ao ano anterior, mas com queda de 4,7% em comparação ao terceiro trimestre de 2020. Já com relação aos frangos, foram abatidas 1,55 bilhão de cabeças, resultado que representa 5,5% a mais do que o quarto tri de 2019, além de 2,5% maior que o trimestre anterior.

Por outro lado, o abate de bovinos caiu em relação ao trimestre anterior e na comparação anual: 7,25 milhões de cabeças de bovinos, queda de 10,3% contra o quarto tri de 2019 e de 5,8% contra o terceiro tri de 2020.

Os dados são da Estatística da Produção Pecuária: Primeiros resultados, divulgada hoje (11) pelo IBGE. Os resultados completos, contemplando os dados para o fechamento de 2020 e as unidades da federação, serão divulgados em 18 de março de 2021.

A produção de carcaças bovinas foi de 1,96 milhão de toneladas, registrando queda de 6,5% em relação ao quarto tri de 2019 e de 4,6% na comparação com o terceiro tri de 2020. Já o peso acumulado das carcaças de suínos foi de 1,08 milhão de toneladas, aumento de 1,7% contra o quarto trimestre de 2019 e queda de 7,8% na comparação com o trimestre anterior. Pelo lado das carcaças de frango, o preso acumulado foi de 3,57 milhões de toneladas, aumento de 5,2% em relação ao quarto trimestre de 2019 e de 2,5% frente ao terceiro tri de 2020.

Aquisição de leite aumenta, enquanto produção de ovos cai

A pesquisa também mostra que a aquisição de leite cru feita pelos estabelecimentos que atuam sob algum tipo de inspeção sanitária (federal, estadual ou municipal) foi de 6,71 bilhões de litros. O resultado revela um aumento de 0,6% em comparação ao registrado no quarto tri de 2019 e de 4,1% em comparação terceiro trimestre de 2020.

Já a produção de ovos de galinha foi de 977 milhões de dúzias, queda de 1,5% em relação ao mesmo período do ano anterior e retração de 3,4% em comparação ao terceiro trimestre de 2020.

A Pesquisa Trimestral do Couro, que investiga os curtumes que efetuam curtimento de pelo menos 5 mil unidades inteiras de couro cru bovino por ano, mostra que os estabelecimentos declararam ter recebido 7,5 milhões de peças inteiras de couro cru no quarto trimestre de 2020, o que representa queda de 3,9% em comparação ao quarto trimestre de 2019 e diminuição de 8,5% em relação ao trimestre anterior.

Fonte IBGE

 

Compartilhe
Continue Lendo

Agricultura

Safra 2021 deve superar em 3,2% o recorde atingido em 2020

Publicado há

-

ditoria: Estatísticas Econômicas | Cristiane Crelier

11/02/2021 09h00
Segundo o IBGE,A safra nacional de grãos para 2021, cujos prognósticos já vinham indicando novo recorde, teve mais uma alta de estimativa e deve atingir 262,2 milhões de toneladas, ficando 3,2% acima da produção de 2020 (254,1 milhões de toneladas), que já havia sido a mais alta da série histórica do IBGE. A soja e o milho deverão ser os grandes recordistas da produção de cereais, leguminosas e oleaginosas no país. Já o algodão, que vinha alcançando recordes por três anos seguidos, deve ter redução de 16,5% em relação a 2020.

As informações são do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), divulgado hoje (11), pelo IBGE. De acordo com o gerente da pesquisa, Carlos Barradas, a produção de algodão vinha crescendo para atender a demanda internacional, mas, com a pandemia da covid-19, as quedas no setor de vestuário refletiram em uma menor procura por esse produto, influenciando na decisão de plantio da próxima safra.

“Na atual safra, o plantio da soja atrasou devido à escassez de chuvas em algumas regiões e, como grande parte das áreas de algodão são plantadas depois da colheita da soja, na segunda safra, é provável que os produtores reduzam a área plantada com o objetivo de minimizar o risco climático. Além disso, os excelentes preços alcançados pelo milho e sua forte demanda, devem influenciar a decisão dos produtores, no sentido de substituir o algodão pelo cereal, que possui um menor custo de produção e maior facilidade de comercialização”, avalia Barradas.

O milho, em relação à última informação (dezembro), teve sua estimativa de produção elevada em 2,0%, totalizando 103,7 milhões de toneladas, recorde da série histórica do IBGE. Em relação ao ano anterior, a produção deve ser 0,4% e a área a ser colhida 3,2% maiores. A primeira safra deve participar com 25,3% da produção brasileira de 2020 e, a segunda, com 74,7%.

“As exportações brasileiras de milho têm aumentado nos últimos anos, o que, junto à desvalorização cambial do Real, faz com que o produto aumente de preço no mercado interno, já que a oferta não é tão alta. Como a demanda interna pelo cereal continua elevada, em decorrência do maior consumo do complexo de produção de carne suína e de aves, bem como o da produção de ovos de galinha, os preços do produto devem continuar elevados. Algumas usinas de produção de álcool, a partir do milho, também estão sendo instaladas na região Centro-Oeste, o que tem elevado a demanda pelo cereal”, comenta Carlos Barradas.

E a estimativa da produção da soja foi de 130,3 milhões de toneladas, subindo 0,4% em relação ao mês anterior e 7,2% frente à safra de 2020, atingindo novo recorde na série histórica do IBGE.

O Mato Grosso é o maior produtor brasileiro de soja e a falta de chuvas no estado não só provocou o atraso no plantio como até a necessidade de replantio em algumas áreas. Mas, mesmo assim, a produção local foi estimada em 34,6 milhões de toneladas, que representa 26,6% do total nacional de soja a ser colhida em 2021.

“Além disso, na região Sul, as lavouras do Paraná e Rio Grande do Sul sofreram com a escassez de chuvas até novembro, o que pode resultar em declínio da produtividade. Contudo, a partir de dezembro, houve retorno das chuvas e as informações são de uma boa recuperação das lavouras”, acrescenta Barradas.

Em relação a dezembro, houve aumentos nas estimativas da produção do feijão 2ª safra (21,5%), da batata-inglesa 2ª safra (5,4%), do cacau (4,4%), do milho de 2ª safra (2,9%), do tomate (2,0%), do feijão de terceira safra (1,6%), da soja (0,4%), do arroz (0,2%) e do café canéfora (0,1%). Por outro lado, houve declínios nas estimativas da produção da batata-inglesa 1ª safra (-0,5%), do milho 1ª safra (-0,6%), do feijão 1ª safra (-0,8%), do sorgo(-1,5%), do algodão herbáceo (-2,8%), e do café arábica (-11,1%).

As regiões Sul (13,3%) e Nordeste (0,4%) aumentaram suas estimativas de produção, enquanto Centro-Oeste (-1,1%), Sudeste (-0,7%) e a Norte (-2,1%) reduziram.

Fonte : IBGE

Compartilhe
Continue Lendo

Agricultura

Arroba do boi gordo tem nova alta no preço e chega a R$ 275 na capital de Rondônia

Publicado há

-

Por G1 RO

O preço da arroba do boi gordo (para pagamento à vista) está sendo comercializado a quase R$ 275 na capital de Rondônia, segundo nova cotação divulgada pela Entidade Autárquica de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Rondônia (Emater-RO).

O menor preço é de Machadinho do Oeste: R$ 210. Ainda segundo a Emater, a pesquisa de preços refere-se ao preço pago diretamente ao produtor rural.

Abaixo, veja os valores da cotação nas principais cidades:

Boi gordo à vista em Rondônia

Município Preço da @
Ji-Paraná R$ 269
Porto Velho R$ 275
Guajará-Mirim R$ 250
Ariquemes R$ 264,96
Jaru R$ 260
Rolim de Moura R$ 262,63
Ouro Preto do Oeste R$ 267
Costa Marques R$ 240
Cacoal R$ 270
Pimenta Bueno R$ 265
Espigão D’Oeste R$ 265
Vale do Anari R$ 220
Cabixi R$ 264
Chupinguaia R$ 272,50
Alta Floresta R$ 260
Nova Brasilândia R$ 266
Santa Luzia D’Oeste R$ 272
Machadinho do Oeste R$ 210

Compartilhe
Continue Lendo

Agricultura

Empresa desenvolve sistema de polinização artificial que eleva produtividade

Publicado há

-

A Edete Precision Technologies for Agriculture iniciará testes em escala comercial em dezenas de hectares de pomares de amêndoas na Austrália

Uma agtech israelense desenvolveu um sistema para fazer a polinização nas lavouras de forma artificial, que apresenta resultado mais eficiente que as próprias abelhas. A empresa Edete Precision Technologies for Agriculture iniciará testes em escala comercial de sua tecnologia de polinização artificial em dezenas de hectares de pomares de amêndoas na Austrália.

A previsão foi confirmada após a assinatura de um acordo com um dos maiores produtores de amêndoas australiano. Os testes de campo devem começar em agosto, quando as amendoeiras começam a florescer.

A inovação opera com a coleta mecânica de flores, separação do pólen das anteras e outras partes da flor e produção de pólen puro. O método patenteado permite a manutenção de boas taxas de viabilidade do pólen armazenado por mais de um ano.

O pólen geneticamente selecionado é aplicado nas árvores alvo com polinização robótica, que usa uma combinação de tecnologias para aplicar a dosagem ideal de pólen nas flores para uma polinização eficaz.

Quer ver reportagens sobre tecnologia para o agro? Confira no Ag|Evolution! 

FONTE : https://www.canalrural.com.br/programas/informacao/mercado-e-cia/sistema-polinizacao-eleva-produtividade/

 

Compartilhe
Continue Lendo

Destaques

× Fale Conosco